01/01/2016

Primeiro de janeiro de dois mil e dezesseis

Pela primeira vez no Malemolências, teremos um post temático saindo no dia certo. Será um sinal de que em 2016 vou levar uma vida menos atrasada?

Queria apenas deixar registrado o fato de que o primeiro dia do ano nunca pareceu passar tão batido quanto hoje. Tenho a pequena "superstição" de achar que o modo como eu passo a virada do ano influenciará todos os outros 364 dias. Faço uma faxina geralzona na casa, visto branco, ponho um punhado de lentilhas atrás da porta, encontro uma balada legal e dou um jeito de fazer a contagem regressiva ao lado de quem eu amo. 

Ontem senti uma enorme preguiça de fazer tudo isso. Meu révéillon foi informal e íntimo. Comprei alguns petiscos, servi o que o francês chama de apéro dinatoire e queimei dois incensos de oxum num copo de lentilhas coral. Quando meu irmão chegou eu ainda estava vestindo uma jardineira e uma camiseta de capoeira velha. Aliás nem troquei de roupa. Conversamos, rimos, brincamos, desejamos feliz ano novo uns aos outros, rimos e brincamos um pouco mais e quando eu não me aguentei mais de sono fui dormir. Meu irmão, D. e eu. Os três comendo, assistindo animes e ouvindo música. Isso bastou para eu me sentir bem, foi um momento muito alegre. Não sei se quero um 2016 tão calmo como esse révéillon, mas um pouco de estabilidade não faz mal a ninguém.

Pensando bem, o ano civil não tem tanta importância para mim. As minhas três principais atividades (faculdade, trabalho e vida associativa) começam em setembro e terminam em julho. Esse é o tempo que me rege. Fazer metas e organizar objetivos em janeiro não faz sentido algum. Agosto é o mês da grande faxina, e é em setembro que eu parto para o abraço. Acabei de lembrar que em setembro desse ano acabam os 1001 dias do projeto das 101 coisas. Dei uma olhada na minha lista e acho que não vou me sair tão mal.

Enfim... estou num mood meio estranho, bem "malemolente" mesmo, com o perdão da palavra. Não sabia muito que rumo ia tomar esse post. Acabei não chegando a lugar nenhum, mas pelo menos ficou escrito.

Très bonne année et des bisous ^_^


-> em 2026 estarei com 34 anos (!!)
-> estou há três dias assistindo compulsivamente entrevistas do Roda Viva, meu top 3 são as de Lygia Fagundes Telles, Nélida Piñon e Jõao Ubaldo Ribeiro
-> comecei um blog em francês aqui